COMO FUNCIONA

Leilões Judiciais de Imóveis

Entenda como funciona um leilão de imóveis:    

O Leilão Judicial é a venda de bens penhorados por meio de mandado judicial, para a garantia de uma execução, ou seja,

servem para garantir o pagamento de uma dívida oriunda de algum processo na justiça.
 
Os Leilões Judiciais são públicos e os imóveis são vendidos pelo valor da avaliação ou pela maior oferta, independentemente

da avaliação, desde que o lanço não seja considerado preço vil, na primeira ou na segunda data, respectivamente.

Iniciada a hasta pública, ou praça (leilão), o Leiloeiro Oficial anunciará o imóvel que será objeto de arrematação,

no chamado pregão.

Dado o lance por algum dos presentes, o leiloeiro o repetirá por três vezes.

Se outro presente oferecer um lance maior, este invalidará o anterior.

Prevalecerá, ao final, o lance de maior valor que, após três vezes anunciado, não for superado.


O Leilão Judicial é normalmente realizado em duas etapas

·   Na primeira (praça), o menor preço aceitável é o da avaliação.


·   Na segunda (praça), que deve ocorrer entre 10 e 20 dias após a primeira, admite-se qualquer preço para a arrematação,

inclusive valor inferior ao da avaliação, excetuado o preço vil.
 

Preço vil é aquele inferior a 50% do valor da avaliação, no entender da jurisprudência. 


Cabe ao Juíz decidir sobre o valor mínimo do lance para arrematação na segunta praça.


No primeiro leilão, o valor mínimo para a arrematação é o valor da avaliação. 


No segundo, como a lei impede um valor vil para a arrematação, na prática,

admite-se até 50% do valor da avaliação para arrematar o bem. 


O PAGAMENTO:

Em regra, o pagamento deverá ser feito a vista, ou constará no edital do leiloeiro o prazo máximo, mediante caução.


O valor pago pelo arrematante será depositado em uma conta judicial para o pagamento da dívida objeto da Ação.


A compra de um imóvel em leilão judicial é uma boa opção para quem quer economizar.

Isso porque, o valor da venda nesse tipo de leilão é mais competitivo, podendo chegar a 50% do praticado no mercado.
 
Leilão Judicial pode ser uma boa opção para a compra de um imóvel, contudo, este tipo de compra, muito realizada também

por quem quer investir em imóveis, requer alguns cuidados, uma vez que antes diversos pontos devem ser checados 

A medida é necessária, pois na hipótese de o leilão ser anulado, embora os valores depositados sejam devolvidos de forma

corrigida, por conta da morosidade do Judiciário, o comprador fica privado de utilizar o valor em outras situações.

 Além disso, deve-se levantar os débitos do imóvel, como imposto, condomínio, entre outros,

bem como se será vendido livre e desembaraçado deles.

Verificar minuciosamente se o imóvel está com a documentação em dia também é essencial

Por conta de detalhes como estes


O IDEAL É QUE A PESSOA INTERESSADA EM COMPRAR UM IMÓVEL EM LEILÃO

PROCURE AJUDA ESPECIALIZADA 

para checar se tudo está bem, confiando tais cuidados a um 

ADVOGADO QUE REALMENTE ENTENDA DO ASSUNTO

e de preferência que seja um  

PROFISSIONAL COMPETENTE, SÉRIO E EXPERIENTE.